Depoimento de Ex Aluna Waldorf

Neste final de ano fui receber o boletim de minha filha na Escola Waldorf Aitiara e junto recebemos o jornal da escola com um belo depoimento de uma ex aluna Waldorf.

Então conversei com ela e pedi licença para publicá-lo também no blog da Florescer, afinal muitas pessoas tem que tomar consciência deste depoimento.

Obrigada Bia!

Depoimento
deEx-aluna

‘O ponto de vista dos
meus trade offs’

Estive aí há quase cinco anos. Fui da segun-
da turma do colegial da Aitiara. Hoje, sou
aluna do quarto ano de Ciências Econômi-
cas na ESALQ – USP. Logo na primeira
semana na faculdade, aprendi o conceito
de “trade off” que diz respeito a FAZER
ESCOLHAS, ou seja, abrir mão de uma
coisa em detrimento de outra, Com isso,
venho aqui expor o meu ponto de vista.

Primeiramente, eu me considero uma
pessoa de muita sorte. Com 22 anos,
acredito que na maioria dos trade offs
decisivos da minha vida, fiz escolhas
acertadas, e ter tido essa escola como
base contribuiu muito para isso. E acredito
ter passado, até agora, por apenas dois
importantes trade offs na vida.

O primeiro foi quando estava indo para o
ano da escola. Meu pai tinha dúvidas
quanto a “consistência” do colegial e então
fui estudar no La Salle. Hoje, consigo ver
que ele só queria o que ele considerava
ser o melhor para mim … mas na época eu
não tinha as coisas tão claras assim! Enfim,
acostumada com a intimidade, proximida-
de e, digo até mesmo, humanidade do
“ninho de luz’; pela primeira vez me vi
desambientalizada. Resumindo, fiquei no
La Salle por duas semanas! Simplesmente,
não consegui aceitar que os próximos três
anos da minha formação acadêmica
estariam voltados somente para uma
prova de vestibular. E assim fiz a minha
escolha, bati de frente com meu pai, voltei
pra escola Aitiara. 

Do 9° ao 12° ano, tive tantas oportunida-
des e experiências, na Aitiara, que não
tenho a menor dúvida de que elas foram
fundamentais para a Bia de hoje. Ao final
do 12°, formada e saindo do ninho, pela
segunda vez me vi desambientalizada!
Fiz um ano de cursinho. Sim, não vou
mentir e dizer que a Aitiara te prepara
para absolutamente tudo; isso não é
verdade! Mas, voltando às minhas esco-
lhas, foi uma escolha! Na época, custei a
entender que fazia parte do processo
que escolhi, mas hoje vejo que, além de
ter sido bom, foi fundamental. Finalmen-
te aprendi a estudar! Foi um ano em que
me dediquei aos estudos. E, ao final dele,
fiz meu segundo trade off importante: a
escolha da minha profissão. Optei pela
economia. Passei na USP com 19 anos e,
hoje, “olhando para trás e para a frente’;
tenho toda a certeza de ter escolhido o
caminho certo.

O que gostaria de deixar como experiên-
cia própria é que a dúvida em fazer um
colegial Waldorf não deve ser baseada
no vestibular. Ninguém precisa entrar na
faculdade com 17 anos. Na minha balan-
ça, os benefícios da pedagogia Waldorf
contam sempre mais, fazem a diferença
em muitas situações que vivi e vivo. Mais
do que um diferencial, pra mim é um
presente, uma sorte, algo que não tem
trade off que compense.

Pra quem quiser conversar mais sobre
esse assunto, sinta-se super à vontade
em me mandar um e-mail
(bia_cordeiro@yahoo.com ou
beatriz.cordeiro@usp.br) ou mesmo me
telefonar (14-8113-2116).

Muito obrigada pela oportunidade,

Bia (170 ano!)

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s